8 Motivos pelo qual as pessoas Largam a Programação

Introdução

Você se sente perdido com tantas tecnologias ou sente que a montanha (dominar a programação) é muito alta e mal sinalizada para ser escalada? Então esse post é para você 🙂

Vou falar um pouco sobre como eu passei por cada um dos principais motivos pelo qual as pessoas largam a programação e trazer algumas alternativas para superar essas dificuldades.


8 Principais motivos pelo qual as pessoas largam a programação


1 – Me sinto sem direção com tantas informações e opiniões contraditórias

Um dos piores males da programação é se sentir perdido com o excesso de informação e não saber para qual lado ir.

Você já se deparou com artigos e conversas com os seguintes temas?

  • Aprenda Rails porque ele é melhor que Django
  • Aprenda Phoenix, é melhor que Rails
  • Django é melhor que Phoenix, aprenda ele.
  • Angular é melhor que react
  • Esqueça o Angular, aprenda VueJS
  • Esqueça o Rails, está acabando
  • Não tem mercado pra Django
  • Node é moda
  • E etc

Para quem está começando essas discussões são como veneno, porque geram uma grande confusão de por onde começar (se eu começar por x e estiver acabando eu vou perder tempo, mas se eu não começar por x e x não estiver acabando eu vou estar perdendo tempo)

“A incerteza é pior que o sim ou o não”

Como se livrar deste excesso de informações?

Se esses papos tem te deixado confuso e com vontade de largar a programação eu tenho algo para te dizer: Tudo isso é balela 🙂

Se você está começando, busque conhecer um pouco de cada coisa (o suficiente para saber se vale ou não a pena), siga os desenvolvedores que estão gerando conhecimento de qualidade e valor e converse com pessoas mais experientes que você para saber qual caminho elas indicam (eu não sou o desenvolvedor mais experiente de todos, mas se precisar eu estou aqui 🙂 ).

*Uma outra estratégia é observar o que está sendo pedido nas vagas de emprego com a faixa salarial que você deseja e depois ver se as tecnologias que estão lá te interessam.

 

2 – Não consigo me organizar para estudar

Programação não é um processo em que você estuda x coisas e pronto, o aprendizado é constante. Por tanto estudar muito é algo comum e que assusta quem está chegando.

Muitos desenvolvedores que eu conheci travaram nessa parte porque não tinha a disciplina e a paixão necessária para se dedicar ao aprendizado dessa bela arte chamada programação.

Como melhorar sua organização?

Primeiro você tem que se perguntar o seguinte:
Eu não consigo me organizar para estudar ou eu não tenho interesse em estudar programação?

Infelizmente ou felizmente aprender coisas complexas exige dedicação contínua e a maior parte das pessoas só conseguem essa dedicação quando estão apaixonadas pelo objeto de estudo (quando se está apaixonado o estudo parece diversão), se você não se sente assim busque entender se é realmente isto que você quer fazer.

Se você constatar que tem a paixão necessária se inscreva em algum curso ou Bootcamp que realmente faça a diferença e te puxe para os estudos (estar em uma comunidade com conteúdo de qualidade é extremamente estimulante).

“Disciplina é liberdade”, Renato Russo 🙂

 

3 – Sinto que minhas tarefas são muito repetitivas (falta uma causa maior)

Depois de algum tempo na profissão alguns devs começam a se sentirem angustiados por se verem em uma situação de fazer basicamente a mesma coisa todo dia (em empresas mais tradicionais isso é bem comum).

Em geral os programadores por trabalharem em uma profissão que trata do futuro e da mudança sentem a necessidade de algo maior pelo qual se dedicar e quando tudo que se tem são códigos repetitivos todos os dias para um sistema administrativo qualquer, o desespero acontece.

Como se livrar da repetição?

Primeiro você precisa se fazer algumas perguntas:

  1. Eu estou preso na minha zona de conforto?
  2. Está na hora de aprender algo novo?
  3. Está na hora de mudar de emprego?

Programação é algo lindo e capaz de antecipar o futuro e não deveria ser utilizada de maneira tão repetitiva (nós deveríamos programar algo pra fazer a repetição), então se você está se sentindo desestimulado por isso busque sair da zona de conforto aprendendo coisas novas, participando de hackatons, projetos Open Source e quem sabe até mudando de trabalho (indo para algum lugar que te desafie a criar coisas com propósito)

“Tome as rédeas da sua vida, senão você vai passar a vida toda lamentando por não ter vivido a vida que queria”

 

4 – As exigências dos Jobs parecem distantes demais

Se você acessou aquela vaga de job e viu que eles queriam que o programador soubesse ruby, javascript, c#, cobol, tivesse PHD em engenharia aeroespacial e também fosse advogado formado em Harvard e se desesperou, eu tenho uma boa notícia para você: isso não é assim tão comum e nem sempre o que se pede lá é 100% necessário.

Algumas empresas que não querem pagar o preço de mercado para um profissional pleno ou sênior anunciam a vaga com valor menor dizendo ser para juniors mas com exigências de sênior, quando se deparar com isso não se assuste, continue buscando que você encontrará empresas dispostas a pagar o valor justo.

Como superar isto?

Existem vagas para diferentes níveis (e felizmente no mundo da programação elas são bem remuneradas), então não se desespere se você ainda não estiver preparado para uma vaga que exija muitas coisas.

Caso você veja uma vaga que seria ideal para você mas que você não possui todos os conhecimentos, submeta mesmo assim e explique que você tem interesse e que com o tempo certo você pode se tornar o profissional perfeito para a vaga (por mais estranho que pareça as empresas também têm muita dificuldade de encontrar candidatos para as vagas e isso vai ajudar)

Coragem! 🙂

 

5 – Não tem vagas perto de onde eu vivo

Se você não vive perto dos grandes centros terá mais dificuldades de encontrar bons jobs e isso vai te fazer querer largar a área.

Como não desistir quando isso acontece?

Para quem está longe das capitais (onde não exista bons jobs) existem dois bons caminhos para ter sucesso na área:

  1. Buscar um trabalho remoto: Trabalhos nessa categoria estão cada vez mais frequentes e abundantes, então você pode ganhar salário de capital e viver com os custos de interior (ou quem sabe salário de Londres e custos de Brasil)
  2. Se mudar para onde as vagas estão: Eu sei que nem todas as pessoas querem se mudar, mas no meu caso eu fiz isso no começo da minha carreira (eu era do interior de São Paulo e fui para São Paulo) e foi um grande impulso que me permitiu depois ter a experiência necessária para pegar bons trabalhos remotos.

Bora?

 

6 – Não me sinto preparado para pegar um job

Essa é a principal preocupação dos alunos do Bootcamp Super Full Stack quando eles começam a imersão (felizmente ela passa rápido).

Existe uma coisa que se chama síndrome do impostor, ela acontece quando um programador sente que as suas habilidades são inferiores às necessárias para a posição que assumiu ou que vai assumir (logo ele sente que será descoberto e constrangido).

Você tem se sentido assim?

Na hora de se inscrever para as vagas o programador sente que não está preparado (que será um impostor) e acaba por não se inscrever. Naturalmente por ele não se inscrever ele acaba ficando sem conseguir um job.

Como largar o medo e conseguir um job?

Essa síndrome vai diminuir com o tempo mas ela ainda acompanha até os profissionais mais notáveis por toda a carreira (então não se sinta sozinho(a) 🙂 )

Se você sente que realmente não está preparado(a) para pegar um Job grande busque um projeto freelancer para fazer (e até ofereça não cobrar caso não consiga entregar) isso vai aumentar muito a sua confiança.

Depois que fizer alguns projetos nessa modalidade com sucesso você vai se sentir mais preparado(a) para pegar um grande Job (então mãos à obra).

 

7 – Não consigo acompanhar as atualizações

Parece que a cada dia saem milhões de atualizações nos frameworks e bibliotecas e isso gera um grande desespero em quem está começando a programar.

No caso do Ruby On Rails nos últimos meses tivemos dezenas de novidades que ainda não foram completamente absorvidas pelos desenvolvedores e as atualizações continuam saindo.

Como remover essa aflição do seu coração?

Mas não se desespere meu caro(a) amigo(a), 99% das atualizações não vão afetar de maneira significativa a sua rotina de desenvolvimento. Basta você estar inserido(a) na comunidade e naturalmente você vai perceber quais são as atualizações importantes que você deve se atentar e adotar.

Buscar blogs (como este que você está agora) e canais no youtube pode te ajudar a receber as novidades de maneira mais fácil e compilada (sem o que não importa).

Um dos meus compromissos aqui no OneBitCode é esse, estudar tudo que for possível, simplificar e disponibilizar para você (para economizar seu tempo).

 

8 – Eu travo muito em alguns Bugs e perco muito tempo

Muitos desenvolvedores que eu convivo se sentem frustrados com a profissão porque no dia a dia se deparam com Bugs que levam horas para serem resolvidos.

Isso isoladamente talvez não seja um motivo para largar a carreira, mas com certeza essa frustração ajuda muito a agravar outros problemas.

Você se sente desestimulado a criar algo porque sabe que vai perder horas com os Bugs?

“Programação é ir de Bug em Bug até chegar a uma versão estável do código”

Como diminuir essa frustração?

Certamente é desagradável esse processo de ficar correndo atrás de Bugs, mas a minha experiência me mostrou que a maior parte dos Bugs não são resolvidos pelos seguintes motivos:

  1. O desenvolvedor não leu o Log de erro
  2. O desenvolvedor não usou técnica de Debug (eu ensino a usá-las aqui)
  3. O desenvolvedor não sabe pesquisar no Google o seu erro

Você tem cometido algum desses erros?

Se mesmo fazendo tudo isso certo você não resolver esse problema peça ajuda na sua comunidade ou caso seja algo mais complexo contrate uma mentoria de um desenvolvedor mais experiente.

“A cada Bug que ocorre com você, é um Bug a mais que você sabe resolver”


Conclusão

Você não está sozinho nessas dúvidas e com certeza conseguirá superar esses pequenos desafios que ser um programador que faz a diferença trazem.

O importante é você identificar um caminho que faça sentido para você, manter o trabalho duro, a participação na comunidade e continuar se desafiando todos os dias.

No OneBitCode nós temos uma imersão no mundo da programação que dura 6 meses, nessa imersão nós desenvolvemos dentro de uma comunidade com mais de 150 programados 10 APPs do zero (onde nós resolvemos grande parte desses 8 problemas).

As inscrições não estão abertas nesse momento, mas você pode pedir para ser avisado assim que abrirmos uma turma nesse link: Me notifique sobre a próxima turma

Também há algum tempo eu escrevi um guia para quem está começando no mundo do Ruby On Rails, caso esse seja o seu caso acesse aqui: Guia para iniciar no mundo do Ruby On Rails

Compartilhe esse artigo e ajude outros desenvolvedores como você a superarem esses medos que travam o desenvolvimento na profissão.

 

Obrigado por estar aqui,
Grande abraço,
Leonardo Scorza

outubro 1, 2017

17 responses on "8 Motivos pelo qual as pessoas Largam a Programação"

  1. Nossa mano, a número 6 e 8 estou passando por elas. Trabalho integral em uma empresa com PHP com MVC, MySQL e Ajax a um ano. Desde então estou apaixonado com a programação, porém estou precisando de trabalhos remotos freelances mas tenho medo de pegar e não dar conta… Muito bom o artigo. Obrigado pelas dicas

  2. Bela postagem! O meu caso é um pouco o contrário. Sou engenheiro civil e cansei de atuar na minha área! Sempre tive interesse por programação mas tive mais oportunidade para me desenvolver depois de 10 anos de formado! Lógico que a bagagem que adquiri me ajuda, mas ainda sou muito noobão! Kkkkk

    O que mais tenho dificuldade é encontrar tempo para estudar! Eu não consigo largar meu emprego atual , mas aos poucos estou tentando traçar um novo rumo para a minha vida!

  3. Excelente texto. E caiu como uma luva a para a minha situação atual. Parece que eu te contei minhas angústias e você escreveu para mim.
    Texto esclarecedor, direto, fluído é muito bem escrito. Parabéns!

  4. Leonardo, parabéns pelo artigo ! Muito bom e pertinente :3

  5. Quando decidi entrar de cabeça na programação há 5 anos atrás, foi porque alguém me disse: “Ninguém termina nada se não começar com alguma coisa”.
    Comecei e estou no PHP, morando no interior de SP e trabalhando na Capital, mas de olho e estudando outras tecnologias/linguagens. Parabéns pelo post!

  6. Ótimo artigo! Muito motivador. Me fez pensar na minha situação e procurar me reanimar.

  7. Qual técnica você utiliza nos seus estudos? E quantas horas estuda por dia?

  8. Eu sou formado em Ciência da Computação, mas só há um mês eu foquei em programação porque como você disse o estudo é constante, não para mais. Eu tento estudar pelo menos 3 horas por dia, porém decidi não pegar muita coisa de uma vez. O meu foco é em Modelagem de Sistemas (por causa de classes, heranças, orientação a objetos), Modelo conceitual e relacional de BD (por causa das tabelas, relacionamentos, chaves primárias, secundárias …), uma SQL (escolhi o MySQL por que eu li em alguns lugares que ele combina bem com o PHP), PHP, HTML, CSS, JavaScript e algorítimo e lógica de programação. Vou estudar só isso mais ou menos até o fim do ano que vem.

    Parabéns pelo site

  9. I’m impressed, I must say. Actually hardly ever do I encounter a blog that’s both educative and entertaining, and let me tell you, you’ve gotten hit the nail on the head. Your concept is excellent; the problem is something that not enough persons are talking intelligently about. I am very completely satisfied that I stumbled across this in my search for one thing regarding this.

Deixe uma resposta

Feito com s2 por OneBitCode
%d blogueiros gostam disto: