Programe mais rápido automatizando comandos repetitivos

Programe mais rápido automatizando comandos repetitivos

 

Você também é do tipo de programador(a) que não gosta de fazer tarefas repetitivas?

Neste artigo vamos aprender a usar uma ferramenta chamada GNU make para automatizar comandos repetitivos (e longos) para tornar o nosso dia a dia de programação mais simples e produtivo 🙂


A melhor forma de aprender é através de exemplos, então vamos iniciar descobrindo como utilizar o Make na prática e depois vamos criar um conjunto de instruções úteis para quem utiliza Rails + Docker (que também pode ser adaptado para outros stacks).

 

O que é o GNU Make?

Resumidamente, o GNU Make é um utilitário que lê e executa instruções contidas em arquivos denominados Makefiles, ele é uma ferramenta muito poderosa e hoje vamos criar alias (atalhos) para nossos comandos que seriam rodados no terminal.

Uma das vantagens em usar o Make é que toda a equipe que estiver trabalhando no projeto vai ter acesso através do Makefile aos alias criados, o que aumenta o desempenho de todos.

 

Instalando o GNU Make

Geralmente o Make vem instalado por default em sistemas Linux, mas caso precise pode baixar através do link ou instalar através do gerenciador de pacotes da sua distribuição (apt, aptitude e etc).
Ex: apt install maker.

Caso esteja usando Windows pode seguir essas instruções.
Se for MAC OSX pode seguir essas instruções.

Bom, acredito que agora você já sabe o que é o Make e já deve ter ele instalado na sua máquina, então vamos colocar a mão na massa!

 

 

Aprendendo a usar o Make na prática

 

Para entendermos como o Make funciona, vamos criar alguns Makefiles de exemplo.

 

Criando sua primeira instrução

Neste exemplo, vamos criar uma instrução capaz de criar outro arquivo (através do comando touch).

 

1 – Primeiro, crie um arquivo chamado Makefile (dentro da pasta onde deseja realizar o teste).

2 – Coloque nele o seguinte código:

Obs: Use Tab na segunda linha ao invés de espaço.

3 – Agora chame a instrução no seu terminal:

4 – Pronto, ao lado do Makefile foi criado um arquivo chamando: arquivo.txt.

makefile

 

 

Passando parâmetros

Agora iremos criar um Makefile que aceita parâmetros na instrução, desta forma poderemos criar um novo arquivo com o nome, extensão e conteúdo desejado.

 

1 – Primeiro, crie um arquivo chamado Makefile (dentro da pasta onde deseja realizar o teste).

2 – Coloque nele o seguinte código:

Obs: Nas 3 primeiras linhas criamos valores padrões para os parâmetros, com isso eles se tornam opcionais.

Obs2: Lembre-se de colocar Tabs ao invés de espaços.

3 – No terminal, chame a instrução passando os parâmetros:

4 – Depois de rodar os comandos, você deve ver algo assim no terminal:

gnu make

 

Rails + Docker, exemplo prático

 

Eu sou desenvolvedor (rubista) e uso o docker para facilitar a construção do meu ambiente de desenvolvimento, entretanto, uma coisa que me incomoda é ficar repetindo os grandes comandos do docker o tempo todo, por exemplo:

São comandos realmente grandes 😜

 

Então neste exemplo eu vou te mostrar como criar um Makefile para facilitar muito o uso dessas duas ferramentas (Rails e Docker) no seu dia a dia de programador.

Obs: Caso não utilize esse stack, através desse exemplo você vai conseguir ter uma boa base parar criar o seu próprio Makefile.

 

1 – No projeto Rails + Docker que você deseja criar os alias, crie um arquivo chamado Makefile.

2 – Coloque o seguinte conjunto de códigos no arquivo:

Obs: Lembre-se de colocar Tabs ao invés de espaços na indentação.

Obs2: Note que dentro de uma instrução Make é possível chamar outra (reaproveitando os códigos), como na instrução setup que chamamos as instruções bundle e reset.

3 – Agora você pode usar os comandos da seguinte forma:

Pronto, com esses dois comandos você consegue configurar seu projeto e subir em qualquer máquina (com docker) rapidamente 😍

 

Conclusão

O Makefile é uma ferramenta muito poderosa usada pelo pessoal de infraestrutura, se quiserem saber mais sobre ela podem acessar a documentação aqui.

Hoje mostrei como podemos usá-la para facilitar nosso dia a dia de programação através da automação de alguns instruções repetitivas,
Qualquer probleminha, sugestão ou dúvida, deixe um comentário aqui em baixo.

Obrigado!
Um abraço e até a próxima!

 



12 formas de vencer o bloqueio criativo e escrever textos memoráveis (e 6 dicas extras)

Não perca nenhum conteúdo

Receba nosso resumo semanal com os novos posts, cursos, talks e vagas \o/




Você é novo por aqui?

Primeira vez no OneBitCode? Curtiu esse conteúdo? O OneBitCode tem muito mais para você!

O OneBitCode traz conteúdos de qualidade e em português sobre programação com foco em Ruby on Rails e outras tecnologias como Angular, Ionic, React, desenvolvimento de Chatbots e etc.

Se você deseja aprender mais, de uma forma natural e dentro de uma comunidade ativa, visite nosso Facebook e nosso Twitter, veja os screencasts e talks no Youtube, alguns acontecimentos no Instagram, ouça os Podcasts e faça parte de nossa Newsletter.

Além disso, também estamos com alguns e-Books muito interessantes para quem deseja se aprimorar como programador e também como freelancer (os e-Books são gratuitos!):

Espero que curta nossos conteúdos e sempre que precisar de ajuda com os tutoriais, fala com a gente! Seja por Facebook ou e-mail, estamos aqui para você 🙂

Bem-vindo à família OneBitCode \o/

setembro 11, 2018

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Feito com s2 por OneBitCode
%d blogueiros gostam disto: